*

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Esqueci teu nome!!


 
Esqueci teu nome!!

Foi estranho te buscar na memória...
Tu que por tanto tempo me preencheu.
Havia há pouco, as cicatrizes da nossa história,
A certeza que teu amor já não sou eu.

Deixei em minha saudade, tua lembrança acostumada,
Recordações que me tomavam de refém.
Aprisionavam minha esperança algemada,
A essa crença que sem você não sou ninguém.

Sangrei o peito no momento da partida,
Na despedida, minha voz silenciou.
Teu frio golpe deixou minh’alma tão ferida,
Que parecia ser eterna aquela dor.

Mas o tempo, meu querido, a sua maneira...
Trouxe consigo uma verdade a me espantar:
Que ao final da dor cruel e derradeira,
Até teu nome, ele tratou de me levar.

Gil Façanha

quinta-feira, 25 de junho de 2015

VOLTAR À VIDA



VOLTAR À VIDA

Preciso voltar à vida...
sentir os meus pés
pisarem sobre fragmentos de razão
e com eles compor
uma história que seja real e completa,
para que nos meu sonhos
não persistam resquícios
do que “não foi vivo”,
do que “não fez” o meu coração descompassar.
Para que nos meu sonhos
não persistam resquícios
do que “não foi naturalmente” desejado.
Preciso mesmo,
nem que seja por instantes,
me perder em doçuras e carícias,
me perder em momentos que sejam marcados
pela beleza de uma canção,
pela suavidade de um encontro.
Preciso viver a ansiosa espera
da chegada de afagos e beijos de paixão.
Preciso ter no coração um amor ardente,
que me contagie e me faça suspirar,
que me faça sentir na pele
o calor da chama que preciso para viver.

-Lenilce Azevedo-

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Conto, segundo a segundo, a lentidao que corre rapido



Conto, segundo a segundo, a lentidao que corre rapido

No vagar apressado que nao completa o tempo.

___Que ansiedade___

Multiplico os minutos, como escuto os passos
Desta ausencia que vagueia em silencio pela minha vida
Que por ti grita.

___Que saudade___

Somo as horas para subtrair a tua falta
E, sabendo eu que, por ai, te desperdicas,
Vou apodrecendo, ruina a ruina, em todas
As horas que nao consigo colocar em cada dia.

___Que vontade___

Neste rotina diaria, que mais parece um relogio
Desacertado, preciso-te para acertar a minha vida.
 
RP/Lisboa

quinta-feira, 4 de junho de 2015

ESCANDALOSAMENTE FELIZ




ESCANDALOSAMENTE FELIZ

Não interprete-me mal
por essa minha vontade de viver a vida intensamente!
Mas é que nasci com essa gula de ser feliz
e esse meu desatino, é felicidade somente!

Eu sei que as vezes exagero e
acabo metendo os pés pelas mãos com minhas bobeiras...
Mas é esse vício de amar demais
que me sabota e me faz perder as estribeiras!

É complicado, eu sei,
mas esse meu jeito de ser,tá tatuado em mim...
E ainda que me chamem de louca,
posso garantir que sou bem feliz assim!

Desculpe-me ,somente,
pelas doses excessivas de liberdade que ouso fartar-me...
Mas é que não aprendi a viver de mãos dadas com as regras
e muito mal me sentiria se tentarem acorrentar-me!

Mas não desculparei-me por ser quem sou!
Ando de cabeça erguida com toda essa minha transparência.
Escandalosamente orgulhosa por este meu atrevimento
ser a marca registrada da minha essência!

-Mell Glitter-

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Uma noite.......



Uma noite....... 

Uma noite, vais ver...
A tua voz ira perguntar por mim
E um eco
Respondera o meu nome
Que sem tu quereres
Foge-te pela boca

Uma noite, vais ouvir....
Que o silencio
Transforma-se lentamente,
Numa lamina afiada
Que rasga sonhos ilusões
E desconfigura qualquer destino

Uma noite, vais dizer....
Todas as palavras certas,
Escritas nas historias erradas,
Que se cansaram de esperar,
Pela historia,
Que não tinha historia nenhuma

Uma noite, vais sentir...
A magoa assustadora
Que o som dos meus passos,
Em todos os corredores vazios,
Provoca em ti

Uma noite, vais querer...
Que o meu nome
Seja tatuado nas tuas veias
Mas já será tarde,
Pois já não tenho,
Mais nada para dar

Por isso,
Antes que essa noite chegue,
Memoriza-me,
Com os olhos da tua alma
E grava,
As batidas do meu coração,
Para que,
Sempre que queiras,
Me possas reproduzir no futuro
Pois de mim,
E só a saudade que iras ter. 

RP /Rogério Carreira
Lisboa

domingo, 24 de maio de 2015

Lágrimas.



Lágrimas.

No silêncio da Alma,
A incansável busca da compreensão.
Um dilema entre sentimentos,
Que explodem no coração.

O aperto no peito se instala.
Tristeza? Alegria?
Coragem? Covardia?

As palavras tornam-se ausentes.
Lágrimas se fazem presentes.
Deslizam sobre a face,
Nos lábios suavemente, encontram abrigo.

Um grande amor?
Alguém do passado?
Deixado de lado?

Ou um amor presente, e de tão intenso,
Inexplicável é a sensação.
Que lágrimas faz rolar,
Quando ele está no coração,
Invadindo e preenchendo a alma,
Aprendendo a cada vez mais Amar...
Lágrimas! Doces lágrimas.
Que aparecem sem aviso,
Banhando a Alma de emoção.

Entender?
Não!

Apenas sentir, deixar acontecer...
Este momento silencioso – gracioso.
O delicado encontro entre ambos:
Suas lágrimas
Com seus lábios.

Autoria
Gênice Suavi

terça-feira, 19 de maio de 2015

AQUARELA




AQUARELA

Vejo
uma tela
ainda em branco,
nela coloco meus
sentimentos,
retoco o brilho do
meu ser,
tento colorir meu
senso de humor
preencho as lacunas
com minha fé
dissolvo as tintas
e com cores
astrais
pincelo de leve
as dores e cubro
de calor o meu
coração,
com a cor do amor
pinto ares de mulher,
e para ela não se
esconder,
Disfarço minha timidez
com a cor da sabedoria
e tinjo os meus olhos
de cor um pouco mais forte,
chamariz para
contemplação...
e nela viajo,
vejo tudo, profundo,
e apresento
ao mundo a
minha própria criação.

Betânia Uchôa

domingo, 17 de maio de 2015

TUA METADE



TUA METADE

Corro livre ao vento
busco nas vozes do
transcendental as
estórias perdidas no tempo.

Meu nome está escrito
em tua vida
estou instalada em teu coração
sou parte de ti
tua ilusão
e nem sabes quem sou!

Sou a tua saudade
sensação que sentes
nem sabes porquê?

Sou alguma coisa
que procuras nas tuas insonias
e caminhadas
nos teus dias
e noites desesperadamente
e nem sabes o que é!

Sou a tua emoção
a tua alegria
e a tristeza
estou sempre nos teus
pensamentos voando
lépida e solta...

Sou um rasgo de memória
que procuras lembrar de onde?
Sou teu mistério e magia
vivo no silêncio da tua alma
sou a metade real e irresistivel
sou a outra parte de ti!

Celina Vasques