*


MEUS BLOGS NÃO TEM FINS LUCRATIVOS.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

ENFEITIÇADA



ENFEITIÇADA

Tocarei para ti melodias
divinais
com todas as rimas e acordes
e escreverei versos
qual partes harmonicas de
uma partitura musical.

Em cada estação farei poemas
e a cada primavera oferecerei
flores e canções
pra te alegrar
declamarei sonetos...
quero ver um sorriso a iluminar
teu rosto.

Me apaixonei...fui enfeitiçada
estou confusa
ansiosa
o amor me encontrou e é
a mesma estória de sempre
a sensação de tola...
seduzida pela paixão.

Não tenho dormido...
contando estrelas
vigiando
as noites e as madrugadas
para agarrar as manhãs
não deixar que
o tempo passe
e o sibilar do vento
leve essa porção mágica
dos meus sonhos para muito
longe num lugar no qual
nem sei se poderei encontrar-te!

Celina Vasques

terça-feira, 22 de julho de 2014

Um amor quase perfeito...



Um amor quase perfeito...

Eu pensei que o nosso amor nunca acabasse
Os teus olhos eram meu céu, não azul, mas
sim verde da cor do teu olhar.
O teu sorriso era uma cortina que aberta,
mostrava-me um mundo diferente, apaixonante. 
E os teus braços, ah! os teus braços, eram laços 
e me enlaçavam nos mais gostosos abraços. 
Aqueles abraços que diziam tudo por nós dois.
Teu corpo, como explicar?! 
Era algo como se desenhado exclusivamente para o meu. 
Peça feita para um perfeito encaixe, tão perfeito que ao
amarmos o mundo lá fora parava.
E neste momento, eu fechava os olhos e dizia é tão meu
e realmente eu sentia assim, você era o meu mundo.
Como eu te amei!
Era tanto amor, ternura, paixão, querer demais,
talvez até um amor louco não sei!...
Mas eu te amei demais, mais que muito,
eu era completamente maluco por você.
A noite, eu te roubava flores no jardim da praça
e enchia a minha camiseta de flores de todas cores
e espécies e ia ao teu encontro e ao te abraçar, 
e deixar cai-las aos teus pés, lembra-se?! 
Você sorria iluminando minha vida
e nos beijávamos numa troca de lábios ávidos
e eu sorvia teus beijos como um líquido mágico
em uma taça de fino cristal.
Era um amor lindo, que de repente
desmancha como uma brisa do vento que passa
rápido, 
e esmaeceu como areia na ampulheta da vida,
desapareceu me deixando órfão de amor.
Solitário eu sigo a vida, mas a saudade me visita
de quando em quando e me faz reviver
estes momentos de nós dois.
O amor se foi, mas existem mas existem
marcas tatuadas em mim que sempre acordam,
me atormentam um tanto e voltam
a adormecer.

-Joe Luigi-

sábado, 19 de julho de 2014

Não me mandes embora agora....





Não me mandes embora agora....

Ah, como posso partir?
Se sempre nos amamos como dois loucos...
Imolados em louca paixão!
Quero-te tanto... Não posso partir...
Tento libertar-me, mas não consigo...
Se todos os meus sonhos
Começaram no dia em que te conheci?
Lembras-te
De nós nas travessuras das noites eternas
Como num pacto
Envenenando a minha alma
meu sangue agora vive em tuas veias...
Fusão de todas as forças
A minha a tua...
Dormiste o meu sono
Levaste de mim os meus sonhos...
Reinventaste-me
Silenciosa... Perene... Frequente...
Como posso partir?
Se te dei meus olhos... 
Agora só vejo o mundo através de ti!

Celina Vasques
 

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Águas



Águas

Desse oceano, dessa quantidade de águas,
Podem ser mar, salgada.
Podem ser soltas, serem chuvas,
São lágrimas, são claras, escuras...
São tantas, onde navegam embarcações,
Onde choram corações...

Águas barrentas, revoltadas das chuvas
caem em redemoinho revoltoso,
se buscam, se agrupam, são tempestades...
Águas na horizontal, na vertical ,
causam vertigens, causam uma explosão...

Águas que jorram das fontes,
são encantadas, causam uma lentidão
dão asas a nossa imaginação...
Águas que caem em lágrimas,
são belas, são triste...buscando emancipação.

Águas, são em si um conjunto,
é o milagre da purificação...
É o pequeno batismo, mergulho em oração,
Águas, que se escondem nas nuvens,
um palco, uma transformação...
Águas que estão internas, evaporam
e são águas, uma celebração.
Ó águas, que estão agora paradas,
Meu rio, minha breve emoção!

Betânia Uchôa

segunda-feira, 14 de julho de 2014

"Alucinação



"Alucinação

Domina-me esta paixão impossível
Entrego-me
perco-me em devaneios
enlouqueço
vejo meus sonhos sumirem
qual poeira ao vento das manhãs febris!

Fecho meus olhos entre pálpebras
desesperada
te busco frenética e na minha loucura
acredito na alucinação da visão
de tua face
é essencial...Preciso!

Aperto meu peito com as mãos
crispadas como se ali estivessem
todas as lembranças dos dias
que se foram de uma juventude perdida!

Desapareço na distancia
e na caminhada que não tem fim
alcanço teus rastros...alegro-me!
falsas pegadas...divergem...finitas
afastam-se cada vez mais...
inconcebível ali morrem minhas lembranças
sigo palavras...encontro estrelas!

celina vasques"

terça-feira, 8 de julho de 2014

Segredos de amor



Segredos de amor

Meu coração guarda um segredo antigo
abandonado, como uma concha do mar
Uma voz, por vezes o toma, um bandido
O tem em clausura, e fica a devanear...

No submundo da minha mente, me desloco
de abismo em abismo, e só de imaginar
Meu pensamento perde todo o foco
bate forte, por medo, de então parar.

Há uma saudade, do cheiro e dos abraços,
Há uma saudade aqui dentro e também fora.
Há uma raiva, e também desejos e embaraços,

Lembranças, boas e ruins, dentro do coração
que eu guardava... Onde o amor, está agora.
são meus segredos, escondidos, minha emoção...

Betânia Uchôa

quarta-feira, 2 de julho de 2014

"Se tu vieres...



"Se tu vieres...

Ah! se tu vieres meu amor
podes chamar-me na madrugada
eu irei ao teu encontro seja onde for...

Ah! se tu vieres meu amor
poderás ouvir harpas
- canções dos anjos e arcanjos -
todas as melodias do mundo eu tocarei
para ti!

Ah! se tu vieres meu amor
eu enxugarei de teus olhos todas
as lágrimas e as beijarei
te acalentarei nas dores
e com meus braços mil abraços
te darei...

Ah! Se tu vieres meu amor....
eu hei
de amar-te ao amanhecer e
no anoitecer velarei teu sono...
cantarei canções e partilharei teus sonhos!

Nestas longas e solitárias tardes
esta é a minha oração
esperando por tuas palavras de amor ...

Olhar no infinito viajando
nos meus pensamentos por sobre o mar e
sentindo-me um pássaro sobrevoando
além das montanhas...
procurando rastros de ti...

E... tu continuas voltado para o horizonte
além de mim...onde as mudanças do sol
para a luz do luar são devaneios do teu
cego coração ...
que não vê os meus
anseios por ti!

celina vasques"

domingo, 29 de junho de 2014

Esperando



Esperando

Enquanto espero por ti
Neste beco da minha fantasia
Vou pensando as frases certas
Que sempre pensei que nunca te diria

Enquanto espero por ti
No meu próprio ser encurralada
Procuro no amalgamo da minha alma
Palavras que tudo dizem, sem dizerem nada.

Enquanto espero por ti
No meu ser de mulher apaixonada
Desfilam no meu coração quebrantado
Vestígios de uma vida, um passado.

Enquanto espero por ti
Agarro-me com firmeza e devoção
Ao encanto feérico do passado
Que foi o nosso amor, a nossa paixão.

Maria Irene Frieza