*

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Amor da minha vida





Amor da minha vida

Por amor amar sem medo, 
Dizer sem metáforas,
Numa linguagem simples.
Pois o tempo passou passando por nós,
E sem olharmos, olhamos uma flor.

Que meu beijo não seja simbólico, 
Mas que tocamos ao tocar e assim voar,
Notar cada nota tocada ao vento,
Sobre nuvens num espaço infinito,
Pois não tenho vergonha de dizer,
E se quer saber, o sábio diz...
Não por ser sábio:
Mas por querer ser feliz.

Vou chamar o pianista. 
Esta noite quero a canção mais bela,
Para mostrar o que sinto,
Quando olho seu sorriso.
Quando olho em seus olhos,
E perco-me no resplendor,
Navegando numa luz mansa,
Encontrando-me em seu peito,
O qual diz sem dizer,
Por saber o que sente,
Porque sabe que me ama.

Amo-te todos os dias, 
E assim sempre será,
Pois se não sou eterno não importa.
O amor o qual eu amo não morrerá.

Por amor, escrevo o amor que desejo,
Quando acordo e te vejo, 
Pois declarar ou gritar,
Para o mundo seria pouco.
Não que eu seja louco.
E se for loucura amar,
Então sou?
Creio que não.
Pois alegria nasce ao nascer do dia,
Trazendo amor, paz, esperança,
Depois de uma noite fria.
Então em vez de gritar,
Vou dizer todos os dias:

Bom dia, amor da minha vida.

Anderson Gouvêa

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Um carnaval diferente...





Um carnaval diferente...

Não, não quero
samba nem frevo.

Eu só quero teu aconchego um 
carnaval só da gente...
Ser colombina que sempre te amou.
Que nos braços de Arlequim não sonhou.
Um carnaval que tu te faças Pierrot.
E que mudemos a história de todos
os carnavais tristes que
se passou.

Um carnaval bem 
envolvente entre sedas coloridas, 
prateadas e douradas de duas vidas queridas...
Fantasias e alegorias de propostas indecentes.
Nada de brincar separados eu quero 
é foliar em teus braços cada dia ser figurino
com nome de todos os blocos do amor.
Esquecer o cansaço das histórias
tristes de todos os carnavais 
de quem chorou.

Um carnaval só da gente...
Fantasias no quarto espalhar na cama
confetes soltar e serpentinas jogar no ar!! 
Sentir a paz dos teus braços rir de “meu” palhaço.
...Ah se faz mestre sala que me faço porta bandeira.
Das plumas e paetês faremos mil brincadeiras.
Um pirata de coração...
Serás sim meu ladrão com tapa olho na mão.
Nosso enredo?Amantes de todas
quartas a quartas dos carnavais
do amor.

Hum! Um carnaval diferente... 
Um carnaval só da gente.

Marisa Torres
@Direitos reservados.  

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Dia Frio_



Dia Frio_

Há um espetáculo em dias frios e chuvosos
Olhando pela janela embaçada e escura,
sinto o barulho das gotículas, que mansamente 
caiem.
Em mim, um misto de calma e nostalgia.
Tanta beleza, coisas simples assim tem
um significado profundo em mim. 
Até porque eu estou aqui esperando, 
ouvir uma frase vinda do meu coração... 
Silenciosamente, com o meu olhar perdido
onde nem sei, apenas espero.
Neste momento sinto uma vontade imensa 
de você aqui.
Queria abraça-la forte em mim...
Eu poderia ainda te falar sobre tantas coisas 
mas as palavras fogem de mim, somem.
A minha alma conversa com o meu silêncio...
E cada momento que paro e relembro, tudo
e volto a ser aquela esperança que na minha 
infância que nunca deixei apagar.
Que estranho fascínio tem os dias frios e chuvosos.
Mexe com os meus sentimentos e provocam viagens
sinto as suas mãos que como o vento brinca comigo,
bagunçando meus cabelos que ficam em desalinho.
Um arrepio percorre meu corpo inteiro
Sinto o teu perfume no ar e o respiro, inalo,
sorvo como se fosse um cálice cheio de amor.
Cada momento distante de ti, me atormenta,
faz de mim um imenso sonhador.
Sabe amor, eu não gosto que a sua ausência
faça presença em mim, me entristece. 
E eu amo te amar.

____Joe Luigi

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

DOR de AMOR...por TE AMAR demais...




DOR de AMOR...por TE AMAR demais...

De onde vem a força que me prende aos olhos teus?
Pra onde vão as lágrimas que saem dos olhos meus?
Não é a dor que quero agora entender, pois essa dói e pronto...
Mas preciso compreender esse amor que gera todo o meu pranto.
O que posso fazer para conter a dor nesse momento?
Como posso arrancar tua doce imagem do meu pensamento?
Ah... Mas esse é o mistério que une nossas almas,
Que mesmo distantes acariciam-se e trazem de volta a nossa calma.

É que na verdade juntos temos a eterna cumplicidade,
Que sobreviverá ao tempo chegando à imortalidade.
Se eu pudesse tocar teu rosto em meio à chuva nesse instante,
Tocar teus lábios doces e quentes agora tão distantes...
Fecharia meus olhos e em teus braços meu corpo repousaria
E o meu jeito de amar-te talvez então,compreenderias.

Sei que não adianta dizer-te mais nada com poesias,
Pois nenhuma delas meu amor por ti explicaria...
Só me resta agora fechar meus olhos e tua imagem guardar,
E o meu coração, deixar sofrer, deixar chorar.
Espero que um dia tu entendas a minha dor,
Meu jeito de ser e de expressar o meu amor...
Só quero que saibas que sempre te dei muito valor,
Pois contigo aprendi o real sentido do que é o AMOR!

Luciene Martins Tanaka (L.M.T)

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Quando o amor vir.



Quando o amor vir.

Entregai-vos, pois 
nele muitas provas virão.
Momentos felizes e tristes...
Ficarão cicatrizes.
Uma flor brotará no coração.
E regar com as águas cristalinas 
da imaginação

E amar deixando
todas as cores reluzir.
Quando amor vir... Se entregar.
Deixá-lo por inteiro o peito ocupar.
Voar nas asas e dá asas levar
aos sonhos, ir e voltar.
E amar...

Quando amor vir...
Os espinhos que 
virão com a flor aparecer.
O mundo não mais parecer azul... 
Escurecer!
E quando o céu parecer desabar... 
Chorar.
Sim... Chorar, chorar e chorar.
E esperar que esta larva que 
Queimou...
Apagar, apagar, apagar.

Marisa Torres
© Direitos reservados.