segunda-feira, 21 de setembro de 2009

POR QUÊ?


POR QUÊ?

Te amei tanto
E com tamanha plenitude
Que nem sei como pude
Seguir sem o amor que te dei
Te amei tanto
E com tanta vontade que fosse sem fim
Que em todo canto de mim
Havia um pouco de você
Seu cheiro, seu beijo, o aperto de seu abraço
Seu sorriso, suas promessas
Sua intensidade em me amar
Nada era igual ao que sonhamos eterno
Ao que tanto desejamos
Ao que imaginamos jamais acabar
Te amei tanto e com tanta leveza
Que até a certeza de que seria pra sempre
Eu percebia viva em meu peito
Enquanto sentia você
Te amei tanto e com tanto prazer
Que nem vi nascer o fim
Que tirou, de você e de mim
Essa intensa alegria de um grande amor
Perplexos
Passamos a não entender o que acontecia
A não acreditar que o amor morria
A não aceitar a dor que se sentia
Te vendo hoje, longe de mim
Meu peito aperta pelo amor que tive
E sei que vive, em mim e em você
A eterna pergunta, sem resposta: Por quê?
Por que acabou um amor assim?

Jorge Luiz Vargas