quinta-feira, 22 de outubro de 2009

As Estrelas não Amam...


As Estrelas não Amam...

As estrelas não amam.
Brilham.
E no seu brilho
se cumprem como cinza quente
de vulcão extinto...
Delas guardamos por vezes a órbita
enquanto esfriam.
Outras vezes nem tanto
soltam-nas como balões...

E em nossas mãos vazias apenas a lonjura
que os olhos não abarcam mais.
(crianças doridas pelo cais...)

Vertigem que as alturas incendeiam.
De ti, meu amor, em cada trago
Colapso de estrelas em que (te) ardo
E me embriago...

Maria Flor