terça-feira, 27 de outubro de 2009

DESPEDIDA


DESPEDIDA

Enquanto houver a esperança
Estarei a te esperar... meu Amor
Vai, guardarei de ti lembrança...
Um dia, vou ter-te de volta, minha flor

Eu te Amo! minha vida
Por Amar-te tanto, pode partir
Ficarei aqui, querida...
Amo teu Amor, és meu existir...

Sei que não fui quem esperava
Que nunca estive presente
E tú, sempre dizendo que me amava
Ai! querida, não consente...

Esta minha vultosa existência
De não ter no coração nenhum pudor
Sem fazer de ambos, uma essência
Agora fico aqui, com minha dor

Vai, quero ver-te feliz!
Um dia vou te encontrar...
Quero que esqueças o que fiz
Que o meu ser, te fez chorar

Hoje, de mim, só resta o quebranto
Do Amor que tive mas não possuí
No coração, apenas o pranto...
Da vida que queria viver, mas não viví...

Dolandmay