sexta-feira, 2 de outubro de 2009

EU SOU...


EU SOU...

Eu sou a onda
Que bate de leve na areia.
Sou a onda que nas
Pedras bate enraivecida.
Sou mar calmo
E bem mansinho...
Sou o mar
revolto que vira qualquer barquinho..
Sou a garoa fininha
Que deixa a relva verdinha.
Sou a tempestade forte
Que tudo sai arrastando.
Sou a brisa bem... Suave...
Que delicada acaricia
Sou o vento assustador
Que passa e ninguém vê
Sou o sol do amanhecer
Que ilumina as palmeiras.
Sou o sol forte inclemente
Que queima todo o sertão.
Sou a noite toda azul
Com luar e com estrelas.
Sou a noite tão escura
Que dá medo de olhar
Sou o tempo com sol
Alegre, e brilhante.
Sou o maior temporal
Lavando todo o meu rosto.
Sou a relva bem verdinha
Onde da pra descansar
Sou a floresta imensa
Onde ninguém consegue entrar.

Terezinha C Werson