domingo, 11 de outubro de 2009

REFÚGIO


REFÚGIO

Quero a paz de estar só,
no meio das folhas amarelas,
nos espinhos que não sangraram...
nas pétalas que não secaram.
Quero estar no galho mais alto,
E enxergar o horizonte,
Viver longe do asfalto,
me perder olhando o rio...
Quero poder descer tranquilo,
e banhar-me na margen calma,
de amor, alegria e simplicidade,
assim serei um ser, com corpo e alma!
Nada mais me arrancaria o sorriso,
nenhuma dúvida, nem tristeza,
somente a voz da certeza,
de que serei eu novamente!

Mando Mago Poeta