sexta-feira, 2 de outubro de 2009

SOLIDÃO DA VIDA


SOLIDÃO DA VIDA

Sentada à beira do rio
Envolta em meio a lençóis
Passei a tarde chorando
Somente a pensar em nós
Nem percebi que o céu
De neblina se cobriu
Escondendo a lua linda
Que no azul do céu surgiu
Meu pranto silencioso
Minha saudade levou
A noite escureceu
Meu sonho acabou
Revejo o que perdi
Nas sombras de minha vida
Nada, apenas eu
E a saudade vivida
Sozinha, em meio a nada
Apenas a solidão
Companheira inseparável
Domina meu coração

Kedma Oliver