segunda-feira, 9 de novembro de 2009

O QUE QUERES?


O QUE QUERES?

Como posso eu,
vir a te esquecer?
Tu não o permite,
parece não querer.
Pare de surgir
a todo instante,
não me telefone,
não pergunte
mais por mim.
Lembra-te?
Foi tu quem
quis o fim.
Não consigo
impedir que venhas
em meus sonhos
e pensamentos,
mas, te ver e sentir
tão presente, está
me enlouquecendo
e conturbando
os mais meigos
de meus íntimos
sentimentos.
Se for só um teste,
se só quiseres
de fato constatar
a falta que me faz...
Pode cessar e se regozijar:
Meus parabéns a ti,
pois eu estou muito triste
e padecendo por demais!

Antônio Poeta