segunda-feira, 9 de novembro de 2009

UMA ALMA QUE DECLAMA


UMA ALMA QUE DECLAMA

Perante o amor que me foi dado,
Suplico para não sentir o fim!

A dor machuca aquele que foi
Mais Devotado, sinto a derrota nessa
Alma que quase não cabe em mim!

É como nó na garganta, fivela do cinto
Invisível, eu sinto um aperto assim!

Então a alma ligada ao liame, declama:

-Ah que bom seria, se primeiro o amor
Passasse, para jogarmos pó em sua face,
Para saber que futuro ele nos reserva!

-Ah se a dor curasse os males, florescesse
Vales, muitas flores eu teria em meu jardim!

Pergentino Júnior