quarta-feira, 9 de dezembro de 2009


Amor é amor e pronto...

Às vezes calo o meu grito ou
Grito no infinito a dor que sinto;
Tantas seqüelas que a esperança
Ainda não visitou ou
Que o tempo ainda não chegou;
Eu sei... eu sei...
Que o tempo não gira ao meu dispor;
Sou responsável pra modificar
O que restou de mim;
Assim vivo a procura do meu eu
Que se perdeu e não mais me encontrou;
Sonho coisas lindas, numa vida infinda
Que nem sempre me encantou;
Vejo os acertos, nos defeitos
É que sou o meu problema
Como tela de cinema
O filme passou e gravou;
Cenas incríveis, outras horríveis
Que a vida me proporcionou;
Preciso aprender a ser mais,
Vencer por querer,
Ser melhor, me perdoar e perdoar,
Sonhar mais, amar demais...
Bem, que amar nunca é demais;
Na emoção, preparar o coração
Não quero razão pra amar,
Só amar... amor é amor e pronto.
Na vida o ponto.

Marisa de Medeiros