terça-feira, 15 de dezembro de 2009


RENASCIMENTO

Noite negra
Tempestades intensas
Olhos abertos,coração em desalento
Erros cometidos,choros incontidos
Medo do desconhecido
Horas parecem séculos
Dia que não amanhece
Angústia crescente
Culpa presente
Aurora anuncia um novo dia
Continuar a tempestade
Ou virá a calmaria
Esperança,confiança no perdão
Olhos nos olhos,
Renascimento

JULIA BRITO