terça-feira, 15 de dezembro de 2009


SER POETA

Perdi meu verso
no canto do poema...
Perdi a rima onde tinha imerso
os olhos teus, a preciosa gema.

As coisas que te dei,
sim.. dei, está dado...
as outras, eu nem sei...
serão pecado?

O corpo que te amou tão
sem segredos...
Os olhos que te dei,
não tinham medos!

Fui além de mim
busquei-te muito além
e o caminho que te dei era sem fim...

Mas não era seu, nem meu...
nem sei de quem!

Mas,
quando , no porto da saudade
deixou ficar meu sonho, minha vontade...
abri meus braços para deixar
voar seu desamor ... ficou saudade...

o seu carinho, agora,
nem que me desse
não mais seria o meu descaminho
nem mais eu te amaria,
ainda que eu quisesse...

JORGE DE CAMPOS TEIXEIRA