terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Volitando


Volitando

Anjos dentro da noite
À noite dentro do copo,
O vento dentro do peito
O tempo dentro dos olhos.
Florestas dentro dos sonhos
A alma dentro do aquário
Luzes dentro da mente
Fotos dentro dos poros
Fatos dentro dos ossos.
Um véu bordado de lagrimas e perolas
Gotas de luz num olhar fundo,
Passos precisos além desse mundo.
Onde pousas poema esquivo?
Em que alma tenta se esconder
Porque não permite me resolver?
A ciência do bem e do mal
A consciência do mel e do sal
Onde uma serpente enroscada
Na brisa assopra veneno nos olhos fatais.
Eu saberia bem mais,
Eu faria bem mais...
Se não me houvesse tanto
A espera dos teus misteriosos sinais,
Eu sofreria bem menos
Mas eu amaria bem mais.
Se me trouxesse a seiva serena e adocicada
Dos teus olhos fatais.
Então resignada escolho ouvir de mim mesma
A negação inconsciente
A afirmação indecente:
Nunca mais!

Claudia Morett