domingo, 3 de janeiro de 2010

Ciúme Virtual


Ciúme Virtual

Fito meus olhos no espelho
E vejo refletido o teu retrato,
Viajo na amplidão de meus anseios
E ouço tua voz em devaneios.

Onde andarás, musa de minha poesia,
Serás tão bela como em tela te criei,
És tão sublime como o amor que te ofertei,
Tão generosa e pura como em sonhos imaginei.

Porque te amo tanto, se nunca te encontrei,
Porque sinto-me teu senhor, teu amor,
Se desfilas em múltiplas telas coloridas,
Alimentando sonhos e quimeras de outras vidas.

Ciúmes, sim ! Atormentam-me,
Do acalanto de teu carinho,
Das frases que passam velozes,
Iluminando meus caminhos.

No firmamento a lua está rodeada de estrelas
O silêncio me diz que a madrugada chegou,
A solidão cita coisas que nem quero imaginar,
Ciúmes de quem se espelha no brilho de teu olhar.

Já ouço o cantar dos pássaros
A manhã já vem chegando
Mas uma noite que passo
Por teu amor divagando.

Prometo-me nunca mais por teu amor ansiar,
Mas o dia vai passando a saudade aumentando.
Chega a noite de mansinho e me vejo frente à tela,
Coração descompassado, não tem jeito admito...
Mas uma noite de espera, pois meu destino é te amar.

FalcãoSR