domingo, 3 de janeiro de 2010

Travessia


Travessia

Atravesses tua ponte
Feches teus olhos, venhas sem medo
Encontrarás teu maior segredo:
Teus desejos inconscientes ali defronte

Verás então que a distância
Não se mede pelos mares
Mas pelo encanto de olhares
Que preencher-te a ti é tua ânsia

E repleto de estares sozinho
Adoces as águas que adornam a ponte:
São tuas próprias esperanças
Que jamais secaram na fonte

Verás que águas doces são preferidas
Por não aceitarem medidas
Quando fazem rimar as vidas
De duas almas divididas

Maria Valéria Revoredo