domingo, 14 de fevereiro de 2010

DEPENDÊNCIA


DEPENDÊNCIA

Meu coração é igual grande deserto.
Que tanto faz calor, tanto faz frio
Que tanto esta fechado ou tanto aberto
Que tanto esta amável ou está bravio

Ele ora esta distante, ora esta perto
Ele ora esta constante ora erradio
Ele ora esta confuso, ora esta certo
Ele ora se transborda, ou esta vazio

Em meio a todas metamorfoses.
Meu coração se acalma ou se agita,
Como doente a depender de doses.

De doses de alegrias e tristezas.
Doses de convicções e incertezas.
Daquela que lhe mora...Que lhe habita.

Jenário de Fátima