sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010


DESFILE DA SOLIDÃO

Desfilo numa folia
onde os pés se arrastam lentos.

No peito...
coração à procura de alento
algo que me alegre ou me acompanhe
nesse carnaval de sonhos perdidos.

Solidão dói
Solidão sangra
Solidão em batucada
me olha e me embala ao longe.

Solidão acorda
o que dorme em mim
e me move além do sono
além da cama
além do abandono...

me tirando a calma
e me tocando em descompasso.

Solidão...
num ritmo louco
mescla-me em desatino
fazendo-me esquecer os beijos dormidos na boca
E os abraços congelados no ar.

Solidão...vestida de preto...
seduz o momento...
invadindo até a alma.

E nas ruas estreitas...
pinta-se de amargura e sai às ruas comigo.

Rosy Moreira
21/02/2009