quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010


Perdas e danos

Algumas relações machucam tanto,
Que dá vontade até de largar tudo.
Calar a voz, fazer o peito mudo,
Isolar-se do mundo nalgum canto.

Nestas relações, não se conhece o espanto.
Perde-se a noção do que seja absurdo.
E as más palavras, tornam o ouvido surdo
Como se coberto de espesso manto.

E enquanto acumulam-se as perdas e danos,
E o nado sempre é contra a corrente
Se vê o decorrer lento dos anos.

Onde deparamos e ante os quais
Temos somente uma só certeza
...Que o tempo que se perdeu, não volta mais!

Jenario de Fátima