domingo, 7 de fevereiro de 2010


PLENITUDE

Sinto-me totalmente satisfeita
com que a vida me propicia.
E como se alguma coisa
retida no meu interior
esvaziasse da inesgotável saudade
entre minha loucura e paz.
Saudades que bailam
na tela dos meus sentidos,
porque sei que sentimentos
não se remendam...
Apenas adormecem
na memória do nosso inconsciente.

Meu corpo absorveu
novo alvorecer, novo recomeço
e novos rumos...
É pra você que dedico esses versos
que gloriosamente são emanados
dos acordes do meu coração.
Sua doçura aclama e amansa
as minhas inquietações
com as carícias dos seus gestos.

Marlene Gomes