sexta-feira, 30 de julho de 2010

Passarinho


Passarinho

Minhas asas voam
ao despontar dos sonhos
no clarão da aurora
nos versos tristes das canções de amor!

Canto melodias e encanto
ao vagar sem rumo procurando
encontrar na brisa uma
harmonia para sustentar o cântico.

Regresso aqui todos os dias mas não me vês
teu olhar sempre distraído envolto numa
nuvem de bruma
mergulhado nos sonhos teus!

Nada sabes de mim
Pobre Poeta Sonhador...
sou aquele passarinho que pousou em ti...
abri minhas asas para abraçar-te mas de
tão rapido não alcançaste-me!

Sonhas todos os dias ...com sonhos impossiveis
mas não vês que eu sou o encantamento o derradeiro
instante o teu mais louco querer
- o amor -
e nos sentires da vida tua palavra adormecida
sou a alegria e também tua dor!

celina vasques