segunda-feira, 12 de julho de 2010

Ternura


Ternura

O vivido caminho
E a constante magia
Deste amor que vigia
Tem um traço divino.

Pois, é de um laço terno,
Há aquecer o inverno,
Que às vezes,
No coração faz morada.

Penso, friamente!
Quão fácil, faz-se a felicidade.
Mesmo em meio à maldade
Que rodeia e anseia na injuria.

Penso!

Na mágica e maravilhosa luz,
Que é constante neste caminho,
De amar e ser amado (a),
De querer e alcançar e abraçar fortemente.

No quadro que desenho a meia luz,
Que neste meu mundo traduz
Três palavras significativas:
- Eu- amo- você!

Catarino Salvador