quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"Contradições”


"Contradições”

Embora aconteça do sol se por no peito
Enquanto houver mar, não perco o rumo.
E mesmo que o coração jamais se cale.
É na realidade, tênue, que me aprumo.

Os desejos preferem permanecer ocultos.
E jamais revirar momentos guardados.
Com a emoção pendurada num cabide.
A vontade de vôo em sonhos camuflados.

Num dia, quero jogar no esquecimento.
Qualquer desejo antes compartilhado.
Então me adio, deixo o sonho guardado.

No outro, porem sou puro sentimento.
Que denuncia todo o sonho de liberdade.
E sem pudor revela minha maior verdade.

Glória Salles