segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Pelo Amor e Pelo Vinho


Pelo amor e pelo vinho que embriaga
Brindemos! Porque tudo é finito:
O amor, que por enquanto é bonito;
O vinho, que se demorar estraga.

Pelo beijo e pela mão que ainda afaga
Brindemos! Nosso sonho, nosso mito,
Porque nosso beijo ainda passa aflito,
E em minha mão desejo se apaga

Brindemos pelo que não foi brindado!
Os anos que ficaram no caminho,
E o sonho que não foi realizado.

E antes que termine um sozinho,
Brindemos pelo que tiver restado
Brindemos pelo amor e pelo vinho!

Narcélio Lima