quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Tu és...


Um raro cristal em lapidação
Doce templo da minha libido
Vínculo espiritual da poesia arte
Onde afago meu amor contido

Tu és...

A razão da minha inspiração
Um sonho de amor vivente
Papel da semente germinante
Às rimas da minha poesia

E então assim...

Segredo nossos segredos
Guardo-os no coração
Liberto os meus medos
Alimento a minha ilusão

Adormeço em teu peito
Devaneio o idílio da paixão
Tendo teu coração meu leito
Entorpeço inerte sem ação

E tu és só meu!

LuliCoutinho