segunda-feira, 4 de abril de 2011

EU E EU MESMA


Sou a dualidade...
tenho dias de rara bondade
dias de pura maldade.
Uma dorme para
a outra acordar...
Uma é sensível, delicada,
dengosa e manhosa.
A outra é imprevisível,
segura e vaidosa.
Uma fala de mansinho
e pede carinho.
A outra esconde seus medos
e declara os seus desejos.
Uma é amor...a outra é paixão.
Uma flutua feito uma fada,
suave e delicada.
A outra tem a força de uma bruxa,
que enfeitiça e embriaga.
Uma é menina,
que afaga e fascina,
brinca e ilumina.
A outra é mulher,
que sabe o que quer,
gosta de perfume forte,
ri de tudo, ri da morte.
Uma é dia,
cheia de nostalgia,
alma bela, cheia de mania.
A outra é noite,
chuvosa e fria,
insinuante e de alma vazia.
No meu eu, duas de mim...
Conhecer as duas,
privilégio de poucos.
Ter as duas...
privilégio de um!

Marcia Mattoso