quinta-feira, 28 de abril de 2011

MINHA ALMA É CIGANA


Minha alma é cigana

Gosto das caminhadas sem fim...
Da poeira dourada das estradas,
do perfume do vento no meu rosto,
do brilho das estrelas, nas noites consteladas...
Amo a luz prateada da Lua sobre as águas,
o aroma da noite, escura e fria,
E o calor de fogueiras resplendentes.
O som dos violões nas madrugadas,
a alegria vibrante das canções,
e o abraço amoroso que me dás...

Amo, acima de tudo: a liberdade...
Sem prender ninguém junto de mim,
porque ao amor não se algema com corrente,
mas, se guarda na alma, como chama
que brilha e aquece
eternamente!

Minha alma, com certeza, é cigana!
Amo a vida, o amor e a natureza!
Rimo liberdade com beleza,
e sigo em frente, sem apego a nada!

Vivo o momento e o resto não me importa...
Tenho as estrelas no céu,
a Lua à minha porta!
Meu violão, a Arte... Um coração que sonha...
Sigo feliz...
Meu destino? O amanhã?
Só o vento soprando, é que me diz!

Cezarina Caruso.