segunda-feira, 25 de abril de 2011

Surpreenda-me!


Pegue o atalho
Ou qualquer desvio...
Mas que te traga!
Chegue sem avisar...
E traga seu encanto...
Desperto de tantas magias...
Que mate essa sensação de perda
E abrande nossos medos

Surpreenda-me com atitudes
Aquela tão contida
Que parece ser ilusão
Mas a maior do seu coração...

Conte-me seu maior desejo
Seu primeiro beijo
Seus sonhos inacabados
Os realizados!
E também os desmoronados...
Declame seus versos
Mudo de palavras
Imersos em seu tão calado sentir...
Mas, conte-me!
Surpreenda-me com seus dissabores...
Valores, calores, fervores... Amores!
Conte-me seu maior medo...

Surpreenda-me com revelações...
E o que ficou só na sua mente...
Ate as mais profanas, insanas
Até as indecentes
Solte suas loucuras...
Seu desejo!!!
Surpreenda-me com seu perfume
Com sua essência
Com sua presença
Desejos no meu caminhar.
Entre atalhos ou desvios
Mas, surpreenda-me!

Du Karmona