quinta-feira, 21 de julho de 2011

Apenas uma mulher.























Apenas uma mulher.

Sem medos nem receios
de brincar com o coração.
Viciada em amar sem temer decepção.
Que descobriu na poesia
a magia de encantar.
E que delira em acreditar na
beleza do amar.

Uma mulher...
Nem a ultima nem a
primeira que anseia e deseja.
Só que falo sem rodeios
que falta um pedaço de mim.
Tantos amores vividos,
claros e escondidos, tantos perdidos.
O que julgo verdadeiro, esta tão
longe de mim.
Meu sonho que deliro, meu
travesseiro de cetim.

Apenas uma mulher.
Que grita este amor
que sufoca a alma e arde em chama.
E no peito clama eternizar este sonho
encantado sem ser julgado.
Passear de mãos dadas com
seu amante, ou um simples namorado.
Entregar-me a este amor ardente e
verdadeiro e ser apenas uma
mulher de corpo inteiro.

Marisa Torres