domingo, 17 de julho de 2011

INCURÁVEL ROMÂNTICA


INCURÁVEL ROMÂNTICA

Haverá cura para o romantismo?
Alguém sabe... pode me dizer?
Pois, ainda que exista eu dispenso!
Gosto do amor
Do jeito mais intenso!
Será isso errado... ou anormal?
Será coisa feia?
Será que dá cadeia...?
Sei lá!
Sou assim, nada poderá me mudar!
Não há remédio pra mim
Nem doutor que me cure
Sou sensível e não mudo
Nem que me prenda ou torture!
Sou manteiga derretida
Choro até mesmo de tédio
Ou lendo bula de remédio!
Que culpa tenho eu
Se você não gosta de flores,
Fica aí curtindo as dores?
Se não gosta do brega
Não se emociona nem se entrega...
Me diz... que culpa tenho eu de ser feliz,
De ser uma romântica inveterada?
Acho que não preciso dizer mais nada!
(Ai, ai)… !

Beth Joy