sábado, 23 de julho de 2011

MENINA MEDROSA!























MENINA MEDROSA!

Menina mimada, mimosa, teimosa,
que esperas da vida, tens medo de andar!
às margens do lago, a olhar receosa,
não queres sofrer, não queres tentar!

Desnuda tua alma
mergulha bem fundo...
Não fuja, se acalma,
descubras o mundo!

O amor é magia, sopro de vida,
da luz a energia, do mar a medida.
É gozo da alma, é dor que judia,
é pranto na calma, no fogo a alegria!

Não temas, mulher, à margem da estrada,
poupar-se do espinho, da chuva e trovão.
Desprezas o vinho, esperas o nada...
Tão triste e doído não ter mais paixão!

Acorda garota e olhe adiante
desperte pra vida, sai desse torpor!
Queres carinho, coração amante,
entregues teu medo na força do amor!

Lídia Sirena Vandresen