quinta-feira, 28 de julho de 2011

RENASCIDA EM FLOR



RENASCIDA EM FLOR

Aos pés de mim mesma
Vi todas as sombras
Deixadas por paredes trincadas
Fases recortadas
Em linhas feridas

Buracos fundos
Nunca imaginados
Foram escolas maestras
Cheias de escolhas incertas
Pintados nesses retratos

Trouxeram águas escorridas
Em meu rosto criança
Foram tristezas sentidas
Perguntas acolhidas
Numa profunda esperança

Mas dentro desse escuro
Repleto de esquadros
Nasceu um céu intenso
Luzes explodiram
Desse absurdo imenso

E refiz aquela criança
Que do pó se fez flor
Correu em direção do vento
Deixou pra traz o lamento
E gritou apenas
Por amor

Nesses versos pintados
Refletidos em viagem
Pude ver a mulher nascida
Que antes retorcida
Transformou-se em miragem

Depois de tudo
Nasceu por fim
Num ninho celeste
Apenas um Eu colorido
Brilhante
Cipreste

E cheia de amor
Continuo...
Serei para sempre
A criatura que voa
A mulher que se doa
A filha do Tudo

Ka Santos