segunda-feira, 1 de agosto de 2011


Deixa ir embora a sombra que te segue; espanta-a fulminantemente com a tua luz; clareia-a a ponto que todas as demais sombras também fujam de medo. De fato, as sombras têm medo da luz, e assim é tanto o seu medo que estão sempre na direção oposta de tudo que brilha, de tudo que irradia energia em clarões. Mata a sombra que te segue até mesmo pelas noites sem estrelas. Transforma-te em luz até dentro da maior escuridão; até onde os olhos não podem enxergar, até onde não conhecem o sol. Brilha!

Adriano Hungaro