sexta-feira, 12 de agosto de 2011

REENCONTRO...



REENCONTRO...

Ah...
Não importa o dia, a hora ou lugar...
Chegará o dia em que os
Olhares se tocarão
E num instante de infinita magia...
Dois espíritos se reencontrarão,
Completamente inebriados
Pelo reconhecimento súbito
De um amor já vivido, de um amor antigo.
Ah...
No reconhecimento desse amor,
Seus espíritos se reconhecerão
Pela inebriante experiência de viver, sentir e conhecer
O que é amar.
Como os ventos se tocarão,
E as incertezas do mundo, superarão.

Ah...

Esse será o momento mais esperado,
De dois corações apaixonados...
Que um dia pelo amor foram marcados.
O destino que um dia os unira,
Foi-se embora levando-lhes a alegria...
Daqueles que foram felizes um dia.

Ah...

Sem você meu mundo é sombrio.
Não há emoção nem vicejos,
Não há paixão nem lampejos,
Não há loucura nem desvario...
Sem você meu mundo é medonho,
Minha realidade parece um sonho,
Minha lembrança é pura saudade...
Sem você tudo em torno é falsidade.
Não existe essa tal felicidade,
Meu mundo é frio e tristonho.

Ah...

Sem você meu mundo é vazio.
Não há carícias nem beijos,
Não há calor nem arrepio,
Não há prazer nem desejos...

Ah...
Que bom que o tempo passa e renasce outro dia,
Fazendo-nos esquecer de todas as noites frias...
Quando enfim reencontramos a nossa melhor parte!
Um amor delirante, que brilha, sufoca sem alarde,
Amor tão perfeito como uma arte
Que não se descarta nem cedo, nem tarde...
Pois é o afago no peito que acalma e que arde.

Ah...
Não importa o dia, a hora ou lugar...
O importante é que nossos corações vão um dia se reencontrar.

(L.M.T)