sábado, 22 de outubro de 2011

NO INFINITO ENCONTREI VOCÊ



NO INFINITO ENCONTREI VOCÊ

No infinito você existia, eu percebia
A brisa leve do mar trouxe-me teu cheiro
Tua essência colorida dos sonhos mais belos
Que tão iguais aos meus eram

Você tocou em mim como uma gota leve
E aos poucos dominada eu já estava
Te percebo todo instante, em tudo que vejo

Na lua busco teu sorriso,
Teus murmúrios, teus suspiros
Nas estrelas o brilho do teu olhar
No mar nas sinfonias das ondas
Você e eu dançando a valsa
Do mais encantado amor

Neste ritmo dançante encantador
Sinto teus braços me acariciar
Sinto a suavidade do teu corpo a me tocar
E os teus lábios a me beijar

Eu te sentia no infinito dos meus sonhos
O vento sussurrava em minha alma
Eu percebia os nossos mistérios, nossos segredos
Que só o tempo podia fazer nos encontrar

Fui à busca dos meus desejos, dos meus anseios
E te encontrei, te chamei e te busquei
Para o meu castelo de amor

Percebi que você já me esperava
Do outro lado do oceano
Onde comigo ousava a sonhar

Comigo você já sonhava
Para juntos escrever nossa história
Fazer nosso filme
Mesmo além do infinito

Realizar nossos desejos, nossos sonhos
Do mais intenso e belo amor
Você me esperava você me queria
E no infinito busquei você!

Flor de Esperança (Maria Beatriz Silva)