terça-feira, 15 de novembro de 2011

Quisera


Quisera

Quisera poder penetrar
Num mundo novo,
Da magia das emoções mais puras
E das formas vivas
Dos momentos mais belos.
Despir minha alma das carências
E preenchê-la, plenamente,
De tudo que se deseja
E seja eterno.
Desvendar meus segredos mais íntimos,
Revelar o esconderijo secreto
Do meu próprio ser.

Quisera nesse mundo novo
Conhecer a essência do sonho
E da realidade,
Rosa e espinho,
Amar e esquecer.
Tanto a doar
E o não acontecer.
Sensibilidade atingindo
As raias da razão.

Tanto quisera mas,
Desvanecem-se os sonhos,
Caindo tudo no silêncio
Onde fica apenas eu.
E caminho...
Não há rumo certo...
Nada existe entre
A beira de um sorriso
E o extremo de uma lágrima,
No entanto,
Espero...

Arlette Santos