domingo, 6 de novembro de 2011

SE EU SOUBESSE TE ESCREVER POEMAS...


SE EU SOUBESSE TE ESCREVER POEMAS...

Se eu soubesse te escrever poemas... certamente não teria perdido tanto tempo olhando tuas fotos e te imaginando para sempre em minha vida; eu logo te escreveria um poema encantado, desses todo apaixonado, cheio de versos lindos, em rimas ricas. Se eu soubesse escrever dar-te-ia um poema como os de Florbela, como aqueles de Vinícius... aqueles mais lindos que falam de amor infinito. Se eu soubesse escrever, se conseguisse traduzir para o papel a minha sentimentalidade, certamente eu descreveria o som do beijo, dos abraços... e faria o vento soprar entrelinhas e deixaria o som do mar embalar todos os teus sonhos. Se eu soubesse escrever dar-te-ia rosas vermelhas nos meus sonetos; arrancaria do fundo do peito um acróstico e nele representaria teu nome para o vasto celestial. Se eu soubesse escrever dir-te-ia quantas vezes fui além dos sóis para querer estar contigo, quantas vezes ultrapassei buracos negros para eternizar-te na minha vida; quantas vezes morri para estar vivo! Mas hoje, falta-me a rima rica, falta-me a prosa e faltam-me os belos versos. Meu universo mudo de palavras apenas imagina dizer-te versos. E eu mudo... penso que se soubesse escrever-te um poema... contaria ao mundo tudo isso, contaria tudo que ainda sinto. Ahhhhhhh... mas eu não sei escrever-te poemas, e eu nunca consegui escrever-te poemas. E agora, enquanto você passa pelas minhas lembranças, quando lembro que teus olhos sempre me miravam, quando lembro que você sorria apaixonadamente e eu perdia todo o ar, quando eu - decoradamente – já cansado de saber que não sabia escrever-te poemas... apenas imagino que o melhor de tudo eu esqueci de dizer-te. Eu, que passei tanto tempo tentando escrever-te poemas, simplesmente esqueci de dizer-te: TE AMO!