quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Que sejas tu...



Que sejas tu...

Todo o brilho aglomerado
das estrelas na terra luzir.
Sejas sol mirando a terra
a noite caindo ardendo despir.
Que sejas tu delicadeza da lua
entre fazes e desequilíbrios...
Sejas tu o meu calor.
Seja lógica ou dedução de um
lunático encantador.

Sejas tu um pedacinho do céu
...Do mar sejas pirata, do meu peito pescador.
Ou vem como um grande poema... Tu és obra eu autor.
Sejas tu ondas gigantes eu um barco de papel.
O meu vento desgovernado frio suave e violento...
Celebrando no meu corpo e fazendo
eterno o momento.

E que sejas tu!
Alma pura e
apurada que nasce do sacrifício!
Seja minha realidade me acolhendo no teu silencio.
Sejas tu minha coragem e também o meu suplicio.
Sejas tu da minha vida a magia
e sentimentos.

Marisa Torres