terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Soneto do amor verdadeiro

Soneto do amor verdadeiro

Um amor verdadeiro atravessa o tempo
Nada, nem ninguém podem o romper
Nem mesmo um outro relacionamento
Destrói as marcas, fazendo-o desfazer.

Um amor verdadeiro tatua-se no coração
Aonde quer que estejamos junto ele vai
Não é como uma quimera ou a estação
Que encantam, mas com o tempo se vão.

Um amor verdadeiro é como uma fonte
Sempre está abrolhar e nunca se esgota
Mesmo nas eras de escassez a água brota.

Um amor verdadeiro possui duas faces
Nos eleva aos céus de tanta felicidade
E saborearmos o amargo da saudade.

Ataíde Lemos