quinta-feira, 15 de março de 2012

Tão longe, e tão perto


Tão longe, e tão perto

Farei do nosso sonho, meu combustível diário,
Da fé em nossas juras, o risco que assumo.
Do aperto no peito, um anseio involuntário,
Do destino aos teus braços, meu rumo.
Do horizonte, a moldura do teu sorriso que vejo.
Da esperança, a confiança de um futuro tão nosso.
Do oceano, obstáculo do nosso desejo,
Do teu amor, a força em crer que tudo que quero... Posso.
Farei da distância o alento,
Entre a saudade e a razão, um duelo
Do nosso encontro, no peito um evento,
De nossas bocas num beijo, o momento que espero.

Gil Façanha