sábado, 27 de outubro de 2012

Noites de insônia




Noites de insônia

São tristes as noites de insónia,
Pois me levam directo ao seu encontro,
E tornam-se quase infinitas.

Em noites assim,
Lembro-me com detalhes,
“Você em mim”...

Lembro do teu olhar conversando comigo
Denunciando o que se passava em ti
'Pra que' palavras...?

E passeando de mãos-dadas com a lembrança,
Encontro-me com a saudade,
E outra noite se vai, enquanto você não vem...

Fulvio Ribeiro