quarta-feira, 7 de novembro de 2012

ALMA CIGANA INQUIETA

ALMA CIGANA INQUIETA

Tantas mudanças,
idas e vindas,
de cá para lá,
de lá para cá.
Culpa de uma alma cigana,
que correntes não aceita,
que raízes não finca, 
que liberdade anseia.
Ela não percebe,
as amarras estão no coração,
para onde for as levará,
liberdade é pura ilusão.
Engana-se facilmente,
mudando a pousada,
debate-se inutilmente,
com a própria bagagem.  
Por fim caí em si,
mergulhar na bagagem é necessário,
enfrentando-a de forma cristalina,
aquieta-se a alma cigana,
finalmente a fuga termina.

- Luconi -