terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Deleite!

 
 Deleite!

Deixa que eu durma!
Assim!
Ao teu ladito!
Deixa que eu respire o teu ar
que solta maresias
e enlaçada pelas tuas fantasias,
dispo a alma,
em forma de um botão de rosa
acabado de florir!
Segue meus sonhos, meu dormir,
descanso o corpo e nele levito,
com os odores do amor que em
mim deixas-te!
Cheiro a rosas e a jasmim,
flutuando esse brilho
em meus cabelos
e as ondas marcadas pelo
afago dos teus dedos
que usas-te para me deleitar!
Deixa que eu durma
e aconchegue, o manto
que cobriu nosso encanto,
para não retirar de mim
nosso momento
e nele eu possa outra vez
emanar!

Maria Morais de Sa