quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Sou...


 Sou...

Sou a dança que dá movimento a roda
A conversa que dá tom a prosa
O jardim que desabrocha a rosa

Sou o lago que inspira os amantes
A brisa da tarde e o instante
O beijo ardente e vibrante

Sou a orquídea rara do serrado
A noite a lua e o céu estrelado
A valsa romântica e o passo marcado

Sou o deleite e o amor do bem amado
A inspiração a serenata e o bailado
A paixão avassaladora o segredo não revelado

Sou a canção sublime e o acalanto
O ensaio a completude e o canto
A bailarina principal, a purpurina e o manto

Sou a alma gêmea querida e preferida
A mulher, a maturidade, aquela que gera a vida
A deusa, a beleza, a realeza prometida

Sou o brilho do olhar da criança
A sensibilidade a meiguice e a dança
O sorriso sincero e a esperança

Sou a terra molhada, o cheiro e a recordação
A chuva no telhado, o desejo e a sedução
A alma serena e a paz no coração

Sou a arte, o palco e o sucesso
O aplauso, o reconhecimento e o verso
As luzes a ribalta e o reverso

Sou a princesa prometida dos contos de fada
A atriz principal, a genialidade prestigiada
O final feliz e a certeza diante da encruzilhada

Sou a mais brilhante estrela do céu
A flor, a beleza, o compromisso e o anel
A virtude perfeita, o diamante e o mel

Janete Manacá