domingo, 24 de março de 2013

O cofre de sonhos!



O cofre de sonhos!

Embalo os meus beijos
e os guardo neste cofre!
Esqueço que te vejo
e olho para o rio
que sinto por mim,
a sua corrente passar!

Recolho os meus abraços
e finjo que este frio,
é o mar que empurra a areia
e a enrola
para outra vez a empurrar!

Encolho este abraçar,
dentro do meu peito,
para não mais voltar...!
A ver, com estes olhos luzentes,
a bruma que tirou o poente
e a voz, para não o poder chamar!

E assim, vou guardar neste cofre,
a vontade imensa de querer,
ser outra vez a fome
e os sonhos coloridos
que deixo aqui por indefinidos,
por gestos sem agitar
e as mãos nuas por tocar!

Hoje finjo, ter tido,
algum dia um desejo
que agora o vou guardar!
Esquecendo o que não esqueço,
mas que dentro deste cofre,
para sempre terá de ficar!
E nele depositarei o gosto,
o desgosto e o mosto, do vinho
que um dia, me deste a provar!

Maria Morais de Sa