sexta-feira, 15 de março de 2013

Voe -


Voe -

Faço-te em poesias, tu dormes.
Minha alma consegue te abraçar
E outra vez eu olho o teu retrato
Vinho, chuva, frio, saudade e o vento.

O Coração não me deixa esquecer
Escute mais uma vez
Escute mais uma vez
Por favor, escute mais uma vez.

E se eu nunca puder voar com você
Voe, voe, voe, Voe, voe, voe...
Eu? Eu ficarei cá, escrevendo o outono

E, quando a primavera chegar.
Eu simplesmente perguntarei de você as borboletas
Não sei mais o que fazer, eu estou tão cansada...

O amor ás vezes não quer acordar...
Minha alma anda a dizer que precisar sossegar
Preciso ir, mas ficarei no vento das folhas de outono.
Eu só lhe peço que voe, sorria, cante

O céu estará sempre azul pra você
A lua sempre brilhará pra você
E, sempre haverá uma estrela ao seu lado.
Voe, voe, voe, Voe, voe, voe...

Eu preciso ir...
Minha alma está tão cansada
Meu coração precisa parar de sangrar
Os desencontros ás vezes têm um preço amargo
O tempo não perdoa o amor que não pode acontecer...

Eu posso está louca, mas penso que as estrelas
Choram quando o amor morre antes de poder viver

Ninguém pode enterrar o amor, mas às vezes.
A gente precisa o deixar voar...

Sinta o vento, converse com a lua, sinta o belo das flores
E. voe, voe, voe, Voe, voe, voe, Voe, voe, voe...
A poesia das canções de amor estará com você
Não estou te deixando ir, mas eu estou indo

Estou levando os sabores dos silêncios
E as sobras das promessas que fora enterradas

Às vezes nos envolvemos nas palavras
Quando tudo que precisamos é olhar no olhar
E sentir. O amor...
E em silencio deixar a alma falar
Ás vezes o coração precisa escutar...
Não, nossas vidas não se perderam.

Por que as almas têm asas
Um dia elas podem se encontrar
Eu apenas, te peço, não deixe de voar!
...Eu te imaginarei... Voando...

Voe, voe, voe, Voe, voe, voe...
Voe, voe, voe, Voe, voe, voe...
Voe, voe, voe, Voe, voe, voe...

Bia Lira