sexta-feira, 12 de julho de 2013

NADA MAIS




Na vida, fiquei presa nas lembranças
Esquecendo até mesmo de viver
Se esvaíram meus sonhos e esperanças
Tão presa estava, ao passado e a você

Debruçada no parapeito da minha vida
Apenas olhando-a e a vendo passar
Esquecida das vezes que me fiz atrevida
Ansiosa demais em querer lhe encontrar

Mas hoje, nada nessas lembranças me retém
Pois descobri por acaso que a vida continua
E disso tudo, nada mais a minha alma detém
Que seja imposta por qualquer lembrança sua

- Gil Ordonio -