quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O amor não foi tudo...




O amor não foi tudo...

O tempo não foi o bastante
Eu não tinha visão... Enxergava apenas o
Espelho na minha frente...

O amor não foi tudo...

A estrada foi longa e a vida uma
Caminhada insana... Cheia de pedras...
No meu coração

Apenas o vazio...

Estou fatigada desta caminhada
Com minha alma aprisionada ao Nada!

Sou qual o lamento do luar e das estrelas
Nas madrugadas ao nascer do sol... Ao deixarem na noite

O seu fulgor...

Para onde foram os meus sonhos?
Àqueles sonhados em vão?

Estou morrendo ansiando crer que
Ao nascer do dia as lágrimas secarão e
Voltando à realidade esta febre do viver
Devolva-me a vida aos poucos...

celina vasques