terça-feira, 1 de outubro de 2013

BUSCA DE INFINITO


BUSCA DE INFINITO

Em tempos remotos sem data nem hora
tracei o meu destino neste século revoltoso
que me atingiu com a sua revolta.
Sofri, caí no abismo, na dor, na tormenta,
olhos vendados à luz que me regia…,
não a via…, nem a sentia.
Cega fora até que fui assaltada pela avidez de novos conhecimentos,
conhecimentos que me levaram ao contra senso,
quase à loucura aos olhos normais.
Não! Não sou louca! Louca fora no mundo
dos preconceitos tradicionais.
Hoje sou eu. Eu que me procuro ainda
nesta essência que me rege,
Eu, que continuo na busca dum outro Ser,
um Ser a que chamo Deus
e que hei de encontrar.

Por agora fico-me na busca
ajudada e amparada por aqueles que não vejo
mas sinto…
Fico-me à procura de total compreensão
à outra dimensão.

Maria La-Salete Sá