domingo, 17 de novembro de 2013

MEU HORIZONTE...



MEU HORIZONTE...

“Meus pés descalços vão pelo rumo de minha alma
Os meus sonhos são maiores que as palavras “... 
Há um segredo que vem da minha essência 
Que navega sem quimeras... Meu olhar marejado 
Está carente do teu...

E este mar avança implacável... 
Meus sentires misturam-se aos sussurros reprimidos... 
Deste peito melancólico...
Ah! Infindável é a passagem das águas do mar... 
Tenho dores... Tantas dores... 
Doem-me as feridas 
Chagas abertas das longas peregrinações... Em busca do amor! 

Hoje quero apreciar este mar neste fim de noite... 
Ouvir o lamento do vento até meu último alento... 
Meu ontem... 
Meu hoje... 
Meu horizonte!

Não quero mais embriagar-me com palavras 
Não quero acreditar em mentiras e falsas promessas de afeto... 
Quero apenas o silêncio deste meu coração
Não quero sentir esta dor... Não quero ser mortal!

Caminho faz tempo por prantos e desvario... 
Perdi-me no nada... 
Despencaram-se meus sonhos nesta temerosa agonia... 
Hoje chorei em silencio 
Lágrimas fluídas esvoaçadas do pranto... 
Magoada com a vida que te arrebatou de mim!

Celina Vasques