quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Filho do Tempo





Filho do Tempo

Olhavam e imaginavam
Se o calor do coração
Suportaria a dor da ausência, 
Mesmo sabendo 
Que nenhum calor 
Suporta o inverno da alma.

Pensavam e acreditavam 
Que o amor era filho do tempo,
Então percorriam os olhares 
À procura de uma única esperança 
Que pudesse levá-los 
A reencontrar o amor.

Sonhavam e lutavam
Para que seus sonhos 
Superassem as suas realidades, 
Como se a sua vida dependesse 
Dos seus sonhos 
Mais que da realidade.

E então, numa típica tarde
Em que o crepúsculo
Descia sobre seus pensamentos, 
O amor os visitou,
Tornando as ausências sentidas 
Em presenças presentes, 
Aquecendo cada coração
Que de saudades sofriam.

"In Frestas, pág 57
P.XXX

Gleidston César